Coronavírus e a Economia do RS: Como as empresas podem proceder
18/03/2020
Apoio às Micro e Pequenas Empresas
22/05/2020

Por vezes nos deparamos em uma encruzilhada: Continuar ou Desistir.

Os dias nos trazem desafios, surpresas, inquietudes. Mas o que te move: perguntas ou respostas? Procurar sucesso?Reconhecimento? Assinatura na calçada da fama? Corpo perfeito ou saúde? O amor de alguém?

Por vezes essa busca pode se tornar descontrolada em virtude de uma ilusão vendida pelas mídias, ou influenciada por grupos de convivência, onde muitas projetam encantamento ilusório distante do atingível.

Sobreviver, no seu sentido mais biológico, apenas mantendo as necessidades vitais do ‘ser’ por vezes parece mais fácil e menos comprometedor, logo sem inspiração nenhuma!

O mundo tecnológico também pode desperdiçar energia em inúmeros cliques que ficam na memória do celular, mas que perdemos o momento que se torna tão apressado quanto o percorrer do dedo. Lidamos com tantas demandas cotidianas que muitas vezes a sensação é de estarmos num movimento giratório. Vamos circulando cada vez mais acelerado, carregando nossas angústias sem se dar por conta do nosso entorno. Comodismo?

Hoje nos ocupamos muito mais com questões diversas que antigamente. Temos a certeza que o tempo voa e o Natal chega rápido. Neste turbilhão de preocupações, compaixão, tragédias naturais, fome, refugiados; o tempo para autodedicação diminui. Minha energia se dispersa na velocidade, mas encolhe meu aprendizado.

Na correria diária onde gasto minha energia? Muitas opções modernas, que facilitam a vida acelerada estão perdendo espaço para a troca, a convivência, o relacionamento próximo, por vezes esquecido. Você prefere que alguém chame a tele entrega ou tenha a atenção e o cuidado de preparar a refeição regada à boas histórias?

Inegáveis e magníficos são os avanços tecnológicos, na saúde, educação, informação, agilidade das demandas. Nossos bens de uso em escala industrial, negócios globais… Mas de repente bate um encantamento pelo processo artesanal, onde empregamos tempo e energia produzindo um queijo, fazendo um bordado, e assim ressignificando nossa existência e fortalecendo nossos laços humanos.

Energia gasta com equilíbrio e partilhada, acredito ser este nosso grande desafio. Pois toda conduta exagerada traz desequilíbrio. Fazer escolhas, investir nelas, mudar o curso se necessário, mas acima de tudo demonstrar verdadeiramente paixão pelo que se realiza e gratidão pelo que nos rodeia.

Clarisse Schalemberg
Clarisse Schalemberg
Trabalhista